A Língua das Mariposas: diálogos possíveis: Crônicas de uma Professora

 Crônicas de uma Professora

Setembro, 22.

O quê? Quando? Onde?

Ontem, assistimos com nossos alunos ao vídeo de um garoto de Campinas, que mete o pau no governo, diz que os professores ensinam coisas inúteis, protesta que deviam ter mais aulas de Filosofia, o que ele é, um aluno.
Meninas da 6ª série postam no Facebook meu protesto contra os brinquedos que reforçam o machismo, o que elas são, duas alunas.
No Glicério os meninos resolvem que têm que fazer um documentário sobre educação pra questionar a qualidade da escola pública, o que eles são, três, quatro, cinco alunos.
As 8ªs séries têm reações diferentes quando comento que não vou ao Mcdonalds há mais de 10 anos, uma turma aplaude o protesto, a outra me traz de presente um Smurf (porque senão seu filho ficará revoltado, prô), o que eles são, seis, sete, oito... dez alunos.
No ensino Médio, meninas discordam entre si quando pergunto se defendem umaescola tradicional ou construtivista, o que elas são, onze, doze...vinte alunas.
Uma jovem rebelde do Duque sempre diz, me parafraseando: tem que ter perspectiva! O que ela é: todos eles juntos.

Revolta...dor... perplexidade, num dia em que uma criança de forma incompreensível atira contra a "prô" e contra si.

Vou dormir pensando nos meus alunos.

Postagens mais visitadas