Crônicas sobre The Walking Dead: Sobre a morte de Gleen!

Fazia muito tempo que eu não via uma série com tanta vontade, The Walking Dead é atualmente minha série favorita (se tiver um tempo leia esse texto que são meus motivos por amar a série: http://desafinado-blog.blogspot.com.br/2013/01/civilizacao-e-barbarie-em-walking-dead.html). Concordo que há episódios excelentes e outros mais fracos. A 4ª temporada é a melhor de todas pra mim, TODOS, os episódios são ótimos, você se aproxima dos personagens, já da 5ª pra cá, há uma oscilação grande. Têm nos preparado pra morte de Gleen desde a 5ª temporada, quando ele passa por várias situações em que poderia ter morrido. Matar um personagem tão imprescindível daquela forma esmagaria nosso romantismo de fãs, e não seria próprio de #TWD fazer isso com grandes personagens. (O Noah não era um grande personagem, não deu tempo do apego). A morte de Herschel foi de deixar perplexo, a de Tyreese foi épica, assim como a morte de Bob e Beth mexeram conosco e isso me traz questionamentos: os que morreram eram frágeis demais para essa realidade? Só os fortes sobrevivem num mundo de barbárie? Cheguei a achar que bancariam a morte de Gleen, no episódio sobre Magie temos essa impressão, porém, confesso que fiquei feliz ao vê-lo vivo, a série volta a por em pauta que a humanidade pode ter alguma perspectiva, ou mesmo "esperança". A forma (tosca) como ele sobreviveu já tínhamos cantado no mesmo dia em que o episódio foi ao ar, ele é um sobrevivente, e a série é ficção também, não foi a melhor forma, mas esse também é o jogo da TV com seus fãs. Sim, há um grupo com quem nos importamos, pessoas com quem estamos convivendo nos últimos 6 anos e isso muda a forma como vamos encarar suas ausências. Gostei da explicação do diretor para os suspense: fizemos os fãs vivenciarem a incerteza dos personagens.

Postagens mais visitadas